Nota da ABA em defesa do Museu Nacional e da UFRJ

Foi com indignação e revolta que a Associação Brasileira de Antropologia tomou conhecimento da notícia publicada no jornal Folha de São Paulo no dia 26/03/2021, a respeito do projeto governamental de transformar o Museu Nacional em um centro turístico orientado para homenagear o período do Império em nosso país[1].

A ABA torna público seu repúdio a mais este ataque a uma instituição científica. Pertencente à Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), reconhecido nacional e internacionalmente como um centro de excelência em pesquisa, o Museu Nacional, uma instituição bicentenária, reúne contribuições da maior relevância em Antropologia, Arqueologia, Botânica, Zoologia, Paleontologia, Linguística e Arqueologia.

O Museu Nacional (fundado em 1818), desde cedo, abrigou, de forma viva e dinâmica, o observatório astronômico e um museu de ciências. No século XX, projetou-se como um importante centro de pesquisa de Arqueologia, Antropologia, Botânica e Zoologia. Abriga professores e pesquisadores de renome científico nacional e internacional, o que o consolidou como um dos maiores centros históricos, científicos e culturais do país e do mundo.

Como parte integrante da UFRJ, abrigou o primeiro curso de pós-graduação em Antropologia Social e assim contribuiu para formar a vasta rede de antropólogos hoje existente. Seus professores e pesquisadores contribuíram decisivamente para o desenvolvimento da Antropologia em um grande número de universidades.  O Museu Nacional, desse modo, somou-se aos vários núcleos de excelência dessa e de outras universidades, usufruindo de um verdadeiro reconhecimento acadêmico e científico.

Há pouco tempo, em 2018, o Museu Nacional sofreu um incêndio que levou à perda de uma parte significativa de seu acervo e de sua arquitetura, provocando um enorme prejuízo ao trabalho científico e ao patrimônio ali existentes.

A tragédia que o atingiu já revelava um evidente descaso com as condições de trabalho dos nossos cientistas e de suas instituições. No entanto, a mobilização solidária do mundo da ciência, da cultura e do patrimônio deu origem a um projeto de reconstrução do Museu Nacional, com apoios nacionais e internacionais, apontando para um horizonte de esperança e renovação.

A ABA vem a público apoiar e se associar a todos e todas que têm se dedicado à reconstrução e à defesa do Museu Nacional, agora, mais uma vez, alvo de graves ameaças.

Manifestamos o nosso profundo desacordo com essa política governamental, que seguidamente despreza o empenho das comunidades voltadas para a ciência, a cultura e o patrimônio da nossa sociedade. É preciso dar um basta ao desmonte das instituições de pesquisa e de produção de conhecimento em nosso país.

Brasília, 29 de março de 2021.

Associação Brasileira de Antropologia – ABA

Leia aqui a nota em PDF.

_____________________________
[1] https://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/2021/03/governo-quer-transformar-museu-nacional-em-palacio-imperial-e-deixar-acervo-fora.shtml [Acesso em 28/03/2021].

Endereço postal:

Caixa postal 04491
Brasília/DF
CEP: 70842-970

Endereço físico:

UNB - Campus Universitário Darcy Ribeiro - Asa norte
Prédio do ICS - instituto de Ciências Sociais
Térreo - Sala AT-41/29 - Brasília/DF
CEP: 70910-900

Contato:

Fale conosco
E-mail: aba@abant.org.br
Telefone: +55 (61) 3307 3754del>
  Celular: +55 (61) 98594-9104

Horário de funcionamento: De segunda a sexta-feira, de 09h às 17hs

© Copyright 2019 Associação Brasileira de Antropologia - Todos os direitos reservados. Por GB Criação de sites e Temas Wordpress

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support