Programação Completa

Próxima transmissão quinzenal:

Habitantes da Rua – 1996

Direção: Claudia Turra Magni e Nuno Godolphin
Duração: 58 min.
Sinopse:
Em meio à ecologia do meio urbano, bandos e indivíduos nômades habitam a rua, inventando biscates, fazendo valer uma caridade, coletando e caçando sua sobrevivência dos restos da sociedade de consumo. Estes habitantes de rua desvelam olhares itinerantes sobre a cidade, divergentes da visão irradiante da sociedade sedentária.
Retirada de http://vimeo.com/76573590

Seguir Siendo – 1999

Direção: Ana Zanotti
Duração 28:39
Sinopse:
Um dos quatro capítulos que integram a série documental ENCENAS DE LA VIDA EN EL BORDE. “Seguir Siendo” narra o universo dos Mbyá-Guaraní que habitam a província de Missiones, no nordeste argentino. É um retrato cultura que explora o trânsito desse povo indígena pelas fronteiras de um mundo branco – distante e mais poderoso – contra o qual opõe a fortaleza de seu mundo espiritual.
Texto traduzido de http://vimeo.com/76573590

Jurema: Raízes Etéreas – 2003

Direção: Marcos Alexandre dos Santos Albuquerque
Duração 40:17
Sinopse:
Registro da história e dos usos contemporâneos da “jurema” (Mimosa tenuiflora) através das práticas rituais de grupos indígenas do Nordeste, do Catimbó, da Umbanda, do Maracatu Rural e da internacionalização da “jurema” como enteógeno. É dado enfoque aos valores, a memória, a transmissão do conhecimento, e a interessante recorrência das experiências místico-religiosas nesses diversos grupos.
Retirado de http://vimeo.com/album/2239137/video/58758583

Oi, que prazer, que alegria Kapinawa – 2006

Marcos Alexandre dos Santos Albuquerque
Duração 30:12
Sinopse:
Este vídeo conta a história da mobilização política dos índios Kapinawá (Buíque – PE) contra grileiros de suas terras, em especial a Mina Grande, sede da etnia. Registra a memória do ingresso de dois personagens (um índio Kambiwá e um Xucuru) que revitalizaram o ritual do Toré como forma de aglutinar a comunidade para a luta contra os latifundiários e estabelecer certo consenso sobre a identidade reivindicada de indígenas. O tema central do filme é a constituição do Toré. Mostra o ingresso deste ritual na comunidade, a recuperação do elemento laico e lúdico do samba-de-coco (dança e música) por este espaço sagrado e a criação de novos toantes (cânticos indígenas) e sambas de caboclos (como chamam as músicas criadas pela mistura de toantes com sambas-de-coco). É dada ênfase ao mecanismo nativo de composição de novas músicas, onde se destacam algumas categorias classificatórias étnicas relacionadas ao universo do sagrado e do coreo-musical.
Retirado de http://vimeo.com/album/2239137/video/58830079

Drag story, lendas e babados – 1997
Viviane Peixe, Aglair Bernardo e Marco Aurélio Silva
Duração 25:38
Sinopse
A visão multicolorida de um dia na vida de um bando de rainhas. O cotidiano desses artistas, que domesticam os saltos, a maquiagem e o preconceito, através das paisagens urbanas – e não tão urbanas – da adorável Ilha de Santa Catarina. Inclui a história absolutamente verdadeira de uma terapia absolutamente mal sucedida. é o resultado de muito esforço, de pesquisa e de mais de um ano de pré-produção. Foi realizado como trabalho de conclusão de curso de Comunicação Social, na Universidade Federal de Santa Catarina, no primeiro semestre de 1997. O vídeo recebeu Menção Honrosa no Festival Pierre Verger de Vídeos Etnográficos, realizado durante a Reunião Brasileira de Antropologia (ABA), em 1998. Foi exibido na 5ª Mostra Internacional do Filme Etnográfico, realizada no Rio de Janeiro em agosto de 1998. E circulou pelo Brasil no Festival Mix Brasil de Cinema e Vídeo da Diversidade Sexual  (1998).
Fonte

Mauss, segundo suas alunas – 2002

Direção: Carmen Rial e Mírian Grossi
Duração: 40:43
Sinopse
Video realizado pelas Profas. Dras. Carmen Silvia Rial e Miriam Pillar Grossi, respectivas coordenadoras do Núcleo de Antropologia Audiovisual e Estudos da Imagem (NAVI) e do Núcleo de Identidades de Gênero e Subjetividades (NIGS), vinculados ao Laboratório de Antropologia Social da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Este vídeo resgata a trajetória intelectual, docente e política do Antropólogo francês Marcel Mauss, um dos fundadores da Escola Francesa de Sociologia e Antropologia, reconhecido por suas importantes obras e por seu legado intelectual representado numa eminente linhagem de pesquisadoras e pesquisadores. A partir de uma perspectiva de gênero, a rememoração do trabalho deste grande clássico da Antropologia se deu por meio de entrevistas realizadas com três de suas principais ex-alunas: Denise Paulme, Germaine Dieterlain e Germaine Tillion.

Endereço postal:

Caixa postal 04491
Brasília/DF
CEP: 70842-970

Endereço físico:

UNB - Campus Universitário Darcy Ribeiro - Asa norte
Prédio do ICS - instituto de Ciências Sociais
Térreo - Sala AT-41/29 - Brasília/DF
CEP: 70910-900

Contato:

Fale conosco
E-mail: aba@abant.org.br
Telefone: +55 (61) 3307 3754del>
  Celular: +55 (61) 98594-9104

Horário de funcionamento: De segunda a sexta-feira, de 09h às 17hs

© Copyright 2019 Associação Brasileira de Antropologia - Todos os direitos reservados. Por GB Criação de sites e Temas Wordpress

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support