Programação Completa

Próxima transmissão quinzenal:

Habitantes da Rua – 1996

Direção: Claudia Turra Magni e Nuno Godolphin
Duração: 58 min.
Sinopse:
Em meio à ecologia do meio urbano, bandos e indivíduos nômades habitam a rua, inventando biscates, fazendo valer uma caridade, coletando e caçando sua sobrevivência dos restos da sociedade de consumo. Estes habitantes de rua desvelam olhares itinerantes sobre a cidade, divergentes da visão irradiante da sociedade sedentária.
Retirada de http://vimeo.com/76573590

Seguir Siendo – 1999

Direção: Ana Zanotti
Duração 28:39
Sinopse:
Um dos quatro capítulos que integram a série documental ENCENAS DE LA VIDA EN EL BORDE. “Seguir Siendo” narra o universo dos Mbyá-Guaraní que habitam a província de Missiones, no nordeste argentino. É um retrato cultura que explora o trânsito desse povo indígena pelas fronteiras de um mundo branco – distante e mais poderoso – contra o qual opõe a fortaleza de seu mundo espiritual.
Texto traduzido de http://vimeo.com/76573590

Jurema: Raízes Etéreas – 2003

Direção: Marcos Alexandre dos Santos Albuquerque
Duração 40:17
Sinopse:
Registro da história e dos usos contemporâneos da “jurema” (Mimosa tenuiflora) através das práticas rituais de grupos indígenas do Nordeste, do Catimbó, da Umbanda, do Maracatu Rural e da internacionalização da “jurema” como enteógeno. É dado enfoque aos valores, a memória, a transmissão do conhecimento, e a interessante recorrência das experiências místico-religiosas nesses diversos grupos.
Retirado de http://vimeo.com/album/2239137/video/58758583

Oi, que prazer, que alegria Kapinawa – 2006

Marcos Alexandre dos Santos Albuquerque
Duração 30:12
Sinopse:
Este vídeo conta a história da mobilização política dos índios Kapinawá (Buíque – PE) contra grileiros de suas terras, em especial a Mina Grande, sede da etnia. Registra a memória do ingresso de dois personagens (um índio Kambiwá e um Xucuru) que revitalizaram o ritual do Toré como forma de aglutinar a comunidade para a luta contra os latifundiários e estabelecer certo consenso sobre a identidade reivindicada de indígenas. O tema central do filme é a constituição do Toré. Mostra o ingresso deste ritual na comunidade, a recuperação do elemento laico e lúdico do samba-de-coco (dança e música) por este espaço sagrado e a criação de novos toantes (cânticos indígenas) e sambas de caboclos (como chamam as músicas criadas pela mistura de toantes com sambas-de-coco). É dada ênfase ao mecanismo nativo de composição de novas músicas, onde se destacam algumas categorias classificatórias étnicas relacionadas ao universo do sagrado e do coreo-musical.
Retirado de http://vimeo.com/album/2239137/video/58830079

Drag story, lendas e babados – 1997
Viviane Peixe, Aglair Bernardo e Marco Aurélio Silva
Duração 25:38
Sinopse
A visão multicolorida de um dia na vida de um bando de rainhas. O cotidiano desses artistas, que domesticam os saltos, a maquiagem e o preconceito, através das paisagens urbanas – e não tão urbanas – da adorável Ilha de Santa Catarina. Inclui a história absolutamente verdadeira de uma terapia absolutamente mal sucedida. é o resultado de muito esforço, de pesquisa e de mais de um ano de pré-produção. Foi realizado como trabalho de conclusão de curso de Comunicação Social, na Universidade Federal de Santa Catarina, no primeiro semestre de 1997. O vídeo recebeu Menção Honrosa no Festival Pierre Verger de Vídeos Etnográficos, realizado durante a Reunião Brasileira de Antropologia (ABA), em 1998. Foi exibido na 5ª Mostra Internacional do Filme Etnográfico, realizada no Rio de Janeiro em agosto de 1998. E circulou pelo Brasil no Festival Mix Brasil de Cinema e Vídeo da Diversidade Sexual  (1998).
Fonte

Mauss, segundo suas alunas – 2002

Direção: Carmen Rial e Mírian Grossi
Duração: 40:43
Sinopse
Video realizado pelas Profas. Dras. Carmen Silvia Rial e Miriam Pillar Grossi, respectivas coordenadoras do Núcleo de Antropologia Audiovisual e Estudos da Imagem (NAVI) e do Núcleo de Identidades de Gênero e Subjetividades (NIGS), vinculados ao Laboratório de Antropologia Social da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Este vídeo resgata a trajetória intelectual, docente e política do Antropólogo francês Marcel Mauss, um dos fundadores da Escola Francesa de Sociologia e Antropologia, reconhecido por suas importantes obras e por seu legado intelectual representado numa eminente linhagem de pesquisadoras e pesquisadores. A partir de uma perspectiva de gênero, a rememoração do trabalho deste grande clássico da Antropologia se deu por meio de entrevistas realizadas com três de suas principais ex-alunas: Denise Paulme, Germaine Dieterlain e Germaine Tillion.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *